Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Morre jurista responsável pelo impeachment da ex-presidente Dilma

Compartilhe:
he

Políticos, movimentos e advogados lamentaram a morte do jurista Hélio Bicudo nesta terça-feira (31) em sua casa, nos Jardins, em São Paulo.

Professor de direito do Largo São Francisco e ex-integrante do Partido dos Trabalhadores (PT), Bicudo foi um dos autores do pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara dos Deputados em 2015.

A senadora Marta Suplicy (MDB), lamentou a morte de Bicudo, que foi ex-prefeito de seu mandato à frente da Prefeitura de São Paulo.

O Movimento Brasil Livre (MBL), que apoiou o processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, disse que Bicudo teve papel importante na defesa de direitos fundamentais.

Janaina Paschoal, autora do processo do impeachment ao lado de Bicudo, agradeceu ao jurista e disse que sem “ele não teria conseguido”

Juliana Fincatti Moreira Santoro, advogada, mestre em Direitos Difusos e Coletivos pela PUC SP e ex-presidente da Comissão Justiça e Paz São Paulo

“Hoje faleceu Hélio Bicudo, jurista que foi exemplo de luta pioneira pelos Direitos Humanos. Na Comissão Justiça e Paz São Paulo personificou o combate das arbitrariedades da ditadura militar e sua destemida atuação trilhou várias fases da história política brasileira, com efetiva participação na redemocratização do Brasil. Nos deixa o legado do ativismo em prol da defesa da dignidade da pessoa humana e da justiça acima de tudo, seja qual for o cenário político”.

Nelson Wilians, do NWADV

“Uma grande perda para nossa sociedade. Um homem que se preocupava não apenas com o Direito, mas com a aplicação da Justiça em primeiro lugar. Deixa um grande exemplo como advogado e cidadão”.

Maristela Basso, professora de Direito da USP

“Um nobre de alma, espírito e intelecto. Em tempos obscuros e incertos, o Brasil perde um farol”.

Daniel Leon Bialski, criminalista do Bialski Advogados

“O Brasil perdeu um ícone que sempre na sua trajetória bradou em prol dos Direitos Humanos e da ordem, mas seu legado é perene”.

Matéria publicada pelo g1.globo.com

Deixe seu comentário: